terça-feira, 6 de março de 2018

Pré-jogo: América x Caldense

Faltam dois jogos na primeira fase para Enderson Moreira e a comissão técnica tentarem experimentar outras escalações.

Se mudanças programadas não forem realizadas durante o estadual, provavelmente serão substituições forçadas no Brasileirão.

Em time que está vencendo também se mexe. Vale lembrar que na conquista da Série B, as escalações iniciais foram diferentes nas vitórias consecutivas.

Glauco completou o sexto jogo no profissional. Sofreu dois gols contra o Atlético e outro, em que fez grande intervenção e a bola não entrou. Contra o Democrata, o gol sofrido foi de pênalti. Sem falhar nos gols sofridos, ainda fez defesas salvadoras. Precisa evoluir a saída do gol em bolas aéreas.

Messias e Rafael Lima mantiveram a consistência defensiva, mas Lima e principalmente Matheus Ferraz precisam jogar mais vezes.

Talvez seja interessante escalar Matheus Ferraz para verificar o comportamento de uma dupla de zaga com mais de 30 anos. Por isto, a necessidade de contratar um zagueiro qualificado e mais jovem.

Aderlan demonstrou mais potencial ofensivo que defensivo. Se for escalado, precisa fazer mais ultrapassagens e buscar a linha de fundo.

Norberto tem mais qualidade na troca de passes, mas avança pouco.

Carlinhos no lugar do Giovanni será uma alteração forçada. Carlinhos pareceu ter mais intensidade e resistência física para defender e atacar.

A dupla de volantes titulares na Série A deve ser Zé Ricardo e provavelmente Wesley.

Christian e David poderiam ser mais experimentados. Seria a mesclagem da juventude com a experiência. Christian é mais marcador e David tem mais qualidade na distribuição das jogadas.

Matheus Sales também precisa ser recuperado.

Juninho e Magrão são remanescentes com maior número de jogos. Juninho corre muito, mas desarma pouco. Magrão poderá render mais pela beirada.

Atualmente, Marquinhos e Aylon são titulares.

Serginho teve poder de finalização e decisão contra o Democrata, mas Renan Oliveira foi mais qualificado na troca de passes, nas partidas que jogou.

Rafael Moura carece ter mais presença de área, poder de decisão, imposição física sobre os adversários, e capacidade para dominar, segurar e repassar a bola.

Luan, este ano, rendeu menos do que pode render.

Poderá seja interessante a utilização do Luan ou Aylon, na função de centroavante ou até Renan Oliveira, de falso 9.

Capixaba pouco demonstrou. Está mais para entrar na lista de dispensa.

Renato Bruno, que treinou na função de meia-atacante, não teve oportunidades. Em vez de só treinar, é preferível ser emprestado.

O padrão de jogo definido pelo Enderson Moreira deve ser mantido, independentemente de quem entra no time, do adversário e da condição de visitante ou mandante.

Com a bola, basicamente são três jogadores no início da transição, quatro na segunda linha e três mais avançados. Mais as variações.

Sem a bola, na marcação mais avançada, primeira linha defensiva com quatro jogadores, segunda com dois, terceira com três e um centroavante mais avançado. Mais compactada, duas linhas de quatro, mais o meia centralizado e o centroavante, antes da linha do meio-de-campo.

Provável time e sugestões.

João Ricardo;
Aderlan, Messias ou Rafael Lima, Matheus Ferraz, Carlinhos;
Christian, David;
Marquinhos, Serginho, Aylon;
Rafael Moura ou Luan ou Aylon ou Renan Oliveira

América x Caldense
quarta-feira, 19h30, Arena do Coelhão
vamos pra cima deles, Coelhô!

----------------------------------

Marco Antônio


Nenhum comentário: