domingo, 10 de setembro de 2017

Paysandu 0 x 1 América-MG

Na vitória sobre o Paysandu, o modelo de jogo do time americano, independentmente de jogar dentro ou fora de casa, foi repetido.

Principalmente no primeiro tempo, o Coelhão manteve a consistência defensiva, competitividade e proposta ofensiva, com posse de bola no campo do adversário.

O acaso, quase sempre presente nas conquistas, também prevaleceu no gol marcado pelo Luan.

Ernandes, Giovanni e Luan aumentaram a produtividade ofensiva pelo lado esquerdo.

No segundo tempo, o adversário tentou ser mais ofensivo, mas ainda assim, só levou perigo nas duas falhas do Lima, na saída de bola.

Ceará e Juninho avançaram menos.

A linha ofensiva dos três meias formada pelo Matheusinho, Renan Oliveira e Luan, também diminuiu a participação ofensiva.

Destaque para Ernandes, pela competitividade, e Luan, pelo poder de decisão e Enderson Moreira, pela manutenção da ideia de jogo.

Foi mais uma vitória conquistada pelo futebol coletivo, a organização tática e atitude vencedora dos comandados pelo Enderson Moreira.

Posse de bola: 49 x 51
Finalizações certas: 2 x 4
Finalizações erradas: 5 x 7
Passes certos: 235 x 358
Passes errados: 48 x 50
Cruzamentos certos: 7 x 1
Cruzamentos errados: 8 x 17
Escanteios: 1 x 6

João Ricardo: Uma defesa no primeiro tempo, outra salvadora no segundo e participação na saída de bola.

Ceará: Participou do início da transição com Lima e Rafael Lima, acertou uma finalização de longa distância. Avançou menos no segundo tempo.

Lima: Vacilou em dois lances na saída de bola.

Rafael Lima: Manteve a segurança defensiva.

Giovanni: Participativo na defesa e no ataque. Fez duas assistências para finalizações e cinco cruzamentos errados.

Juninho: Por não participar da linha de três na saída de bola e por avançar pouco pelo lado direito ou centralizado, foi pouco aproveitado na transição ofensiva.

Ernandes: Bastante combativo na marcação e participativo no setor defensivo e ofensivo. Quatro desarmes, uma assistência para gol e uma para finalização. Aumentou o número de passes certos (43), mas ainda precisa diminuir o de passes errados (12) a fim de potencializar a produtividade.

Matheusinho: Duas assistências para finalizações, três cruzamentos e dois desarmes. Deveria ter revezado mais com Renan Oliveira pelo centro e partido mais vezes com a bola dominada pra cima dos adversários.

Renan Oliveira: Pouco produtivo e até participativo. Sem poder de criação, finalização e decisão, Só 18 passes certos, nenhuma finalização.

Luan: Apesar de bastante competitivo e decisivo, perdeu 10 vezes a posse de bola e errou seis cruzamentos. Acertou duas finalizações e errou duas. Caiu de produção no segundo tempo. Tem capacidade para ser mais eficiente durante os 90 minutos.

Bill: Pouco produtivo.

Magrão: Foi mais participativo que Renan Oliveira

Hugo Cabral: Apesar do pouco tempo em campo, não aproveitou os espaços, quando recebeu a bola sem marcação.

David: Sem tempo.

Enderson Moreira: Novamente manteve o modelo de jogo, a organização tática e proposta ofensiva.


PAYSANDU 0 x 1 AMÉRICA

Paysandu:
Emerson;
Ayrton (Lucas Taylor), Diego Ivo, Perema e Peri;
Renato Augusto, Rodrigo Andrade, Rodrigo e Welinton Junior (Marcão);
Bergson e Anselmo (Magno)
Técnico: Marquinhos Santos

América:
João Ricardo;
Ceará, Lima, Rafael Lima e Giovanni;
Juninho, Ernandes (David);
Matheusinho, Renan Oliveira (Magrão) e Luan;
Bill (Hugo Cabral)
Técnico: Enderson Moreira

Gol: Luan

Vamos subir, Coelhô. Acredita, América!


Marco Antônio, comentarista AMCE.

Nenhum comentário: