sexta-feira, 1 de junho de 2018

Corinthians 1 x 0 América-MG

Apesar da derrota, o confronto foi bastante equilibrado, até com superioridade ofensiva do América, em relação ao número de finalizações certas.

Cada time finalizou 11 vezes. O América acertou 6, errou 5, e o Corinthians fez 3 finalizações certas e 8 erradas.

No primeiro tempo, a conclusão certa mais perigosa foi do Aylon.

Na segunda etapa, Ademir, Aylon, Messias e Judivan tiveram oportunidades para empatar o jogo.

O acaso ainda prevaleceu no gol marcado pelo adversário, que não foi em jogada construída.

A ideia de jogo utilizada pelo Enderson Moreira ** , desde a disputa e conquista da Série B 2017, foi repetida, mas faltou mais qualidade individual para transformar a organização tática em pontos conquistados.

O rendimento americano foi mais próximo da máxima produtividade coletiva, conseguiu jogar de igual para igual, mas ainda faltou qualidade individual para fazer a diferença e superar um adversário mais bem capacitado tecnicamente.

Dentro do previsível, devido as limitações qualitativas para promover um revezamento planejado, os considerados titulares, João Ricardo, Norberto, Leandro Donizete, Rafael Moura e Luan, durante o jogo, desfalcaram o time, devido ao desgaste provocado pela sequência de jogos, em pouco tempo.

Judivan, Marquinhos e Ruy parecem abaixo do 100% de preparo físico.

Pode ser que futuramente Judivan demonstre capacidade para assumir a titularidade, mas a Série A não permite esperar pelo melhor condicionamento físico e técnico do jogador.

Destaque para Aderlan, Christian e Messias.

posse de bola: 56 x 44
finalizações certas: 3 x 6
finalizações erradas: 8 x 5
passes certos:557 x 324
passes errados: 29 x 32
cruzamentos certos: 5 x 3
cruzamentos errados:  16 x 14
desarmes certos: 8 x 22

Jori: pouco exigido, enquanto Walter fez 4 importantes defesas.

Aderlan: foi o americano que mais passou e desarmou, 52 passes certos, 2 errados, 5 lançamentos certos, uma assistência para finalização e 7 desarmes.

Messias e Matheus Ferraz mantiveram a segurança defensiva, participaram da saída de bola, fizeram lançamentos e Messias acertou uma finalização.

Giovanni: mais participativo na marcação e troca de passes do que no apoio.

Juninho: improdutivo no campo ofensivo, só acertou 16 passes, errou 7, fez 3 lançamentos certos, 1 errado.

Christian: do meio para a frente foi o que mais acertou passes, 39 certos 3 errados, 3 lançamentos certos, 3 errados, duas assistências para finalizações.

Aylon acertou duas finalizações, 27 passes certos e 3 errados, perdeu 7 vezes a posse de bola.

Serginho participativo na troca de passes, mas sem poder de finalização, 32 passes certos, 5 errados, 4 assistências para finalizações.

Judivan acertou 8 passes, errou 2, fez duas finalizações certas, uma errada, perdeu 6 vezes a posse de bola. Ainda está sem ritmo e sem as condições ideais para assumir a titularidade.

Ademir acertou 10 passes, errou 2, uma finalização certa e duas erradas. Mostrou potencial para ser mais aproveitado, durante os jogos.

Wesley na função de articulador centralizado, na qual deveria ser mais utilizado, acertou 20 passes e não errou nenhum. No segundo amarelo, houve falta antes não marcada no Judivan,

Luan e Marquinhos quase nada acrescentaram.

A projeção da necessidade de reforços continua *

Corinthians:
Walter;
Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley;
Gabriel, Paulo Roberto, Rodriguinho e Jadson (Marquinhos Gabriel);
Mateus Vital (Júnior Dutra), Pedrinho (Roger)
Técnico: Osmar Loss

América
Jori;
Aderlan, Matheus Ferraz, Messias e Giovanni;
Christian e Juninho (Marquinhos);
Aylon (Wesley), Serginho, Luan (Ademir);
Judivan
Técnico: Enderson Moreira

Gol: Jadson
Cartão amarelo: Juninho, Giovanni e Wesley
Cartão vermelho:  Wesley e Luan

---------------
Marco Antônio
---------------
*
Ainda existe a necessidade de reforços qualificados para sequência do Brasileirão.

Será preciso contratar pelo menos três jogadores para aumentar o potencial agressivo e decisivo do time titular:

- Um meia centralizado.
- Um centroavante.
- Um atacante de lado.

Todos com experiência vitoriosa na primeira divisão, qualidade técnica, intensidade, velocidade, força, poder de finalização e decisão.

**
- Independentemente de quem seja escalado, do adversário e da condição de visitante ou mandante, o time americano é bastante organizado taticamente, na maioria dos jogos disputados.

- Apesar dos erros de execução é até da qualidade dos adversários, tenta buscar o controle do jogo, por meio da valorização da posse de bola ofensiva.

- Com a bola, basicamente são 3 jogadores no início da transição, 4 na segunda linha e 3 mais avançados. Mais as flutuações ofensivas, inclusive dos laterais.

- Com e sem a bola, na distribuição tática mais espaçada, a primeira linha defensiva fica com 4 jogadores, a segunda com 2 volantes, a terceira com 3 meias, e mais a frente 1 centroavante.

- Na formação defensiva compactada, a primeira linha com 4, a segunda também com 4, e os 2 mais um pouco mais avançados, o meia centralizado e o centroavante, antes da linha do meio-de-campo.


Nenhum comentário: