quarta-feira, 6 de junho de 2018

Pré-jogo: América-MG x Atlético-MG

Depois das nove primeiras rodadas do Brasileirão, o time americano ainda busca o ponto de equilíbrio entre defender e atacar, próximo da máxima perfeição, de acordo com a qualidade técnica do adversário.

O Coelhão está no G6 dos gols marcardos e no Z4 dos sofridos.

Com 13 gols marcados, o América divide a quarta colocação com o Palmeiras. Flamengo é o primeiro com 16 gols.

Em relação aos sofridos, é o terceiro que mais levou gols (14).

Vale destacar que, a consistência defensiva também depende do poder de marcação dos 3 meias-atacantes e do centroavante.

A ideia de jogo ** definida pelo Enderson Moreira, durante a disputa e conquista da Série B 2017, deve ser utilizada para buscar a vitória contra o Atlético.

Aliás, o time atleticano, que explora as jogadas ofensivas pelos lados, foi o que mais finalizou nesta Série A. Marcou 14 gols, mas sofreu 13, mas é bastante limitado na defesa, com Patric, Leo Silva e sem Fábio Santos.

Norberto, bem fisicamente, Messias, Matheus Ferraz e Giovanni, bem fisicamente, deverão formar a primeira linha defensiva.

Aderlan é opção de substituição para o lugar do Norberto; Magrão, para o lugar do Giovanni.

Leandro Donizete, bem fisicamente, e Christian deveriam formar a dupla de volantes.

Juninho e Zé Ricardo seriam alternativas de reposição.

Aderlan, mas participativo na marcação e Aylon, mais participativo no ataque, são opções de meia-atacante de lado, pela direita.

Luan, mais participativo na marcação, e Ademir, com potencial para entrar no segundo tempo, partir pra cima do Patric e aumentar a força ofensiva, são opções de meia-atacante pelo lado esquerdo.

Talvez Ademir, que passou por um processo para ganhar massa muscular, ainda não esteja preparado fisicamente para jogar os 90 minutos.

Magrão, por colaborar no combate e auxiliar Giovanni na marcação, é opção para o lugar do Luan.

Serginho, destaque e artilheiro do time no Brasileirão, deverá ser o meia centralizado, com poder de criação, finalização e decisão durante os dois tempos.

Ruy, bem condicionado fisicamente, também tem poder de criação, finalização e decisão.

Aylon e Judivan são opções de centroavante, mas Aylon parece mais bem preparado fisicamente, com mais ritmo de jogo, poder de finalização e decisão.

A projeção de reforços continua. *

Possível time e sugestões de mudanças na formação básica do 4-2-3-1
Jori;
Norberto, Messias, Matheus Ferraz, Giovanni;
Leandro Donizete (Juninho), Christian;
Aderlan (Aylon), Serginho, Luan (Ademir, Aylon, Magrão);
Aylon (Judivan)

América x Atlético
quinta-feira, 21h, Arena do Coelhão
vamos buscar a vitória, Coelhô!

---------------------------
Marco Antônio
--------------------------

*
Ainda existe a necessidade de reforços qualificados para sequência do Brasileirão.

Será preciso contratar pelo menos três jogadores para aumentar o potencial agressivo e decisivo do time titular:

- Um meia centralizado.
- Um centroavante.
- Um atacante de lado.

Todos com experiência vitoriosa na primeira divisão, qualidade técnica, intensidade, velocidade, força, poder de finalização e decisão.

**
- Independentemente de quem seja escalado, do adversário e da condição de visitante ou mandante, o time americano é bastante organizado taticamente, na maioria dos jogos disputados.

- Apesar dos erros de execução é até da qualidade dos adversários, tenta buscar o controle do jogo, por meio da valorização da posse de bola ofensiva.

- Com a bola, basicamente são 3 jogadores no início da transição, 4 na segunda linha e 3 mais avançados. Mais as flutuações ofensivas, inclusive dos laterais.

- Com e sem a bola, na distribuição tática mais espaçada, a primeira linha defensiva fica com 4 jogadores, a segunda com 2 volantes, a terceira com 3 meias, e mais a frente 1 centroavante.

- Na formação defensiva compactada, a primeira linha com 4, a segunda também com 4, e os 2 mais um pouco mais avançados, o meia centralizado e o centroavante, antes da linha do meio-de-campo.

Nenhum comentário: