terça-feira, 18 de julho de 2017

América-MG: Pré-jogo ABC

Dentro de casa ou fora da Arena do Coelhão, o time americano manteve o modelo de jogo, a consistência defensiva e a postura ofensiva na maioria das partidas disputadas.

A eficiência nas finalizações foi o fator mais variável.

Provavelmente o  Coelhão vai buscar a manutenção do padrão tático contra o ABC.

Talvez o desgaste provocado pela sequência de jogos em pouco tempo seja determinante para provocar uma variação no modo de jogar.

Aliás, o pré-jogo contra o Guarani é parecido com o pré-jogo contra o ABC.

Giovanni é opção para estrear na competição e começar a partida na lateral esquerda porque Magrão contra o ABC foi um dos pontos fracos.

A entrada do David e o deslocamento do Ernandes para lateral seria uma possibilidade de mudança no segundo tempo ou até para iniciar o jogo.

A primeira linha defensiva deve ser composta por Norberto, Messias, Rafael Lima e Giovanni ou Ernandes.

Zé Ricardo e Ernandes formariam a dupla de volantes.

David seria opção para cadenciar o ritmo de jogo.

O dilema da linha de três meias continua.

Matheusinho, sub-19 em processo de aprimoramento, tem mais potencial para jogar centralizado e partir com a bola dominada em direção ao gol. Ainda assim, foi mais produtivo do que Luan e Hugo Cabral, quando jogou pelos lados.

Ruy oscilou bons e maus momentos. Foi decisivo em alguns jogos e mediano em outros. Tomara que esteja no auge da produtividade e eficiência.

Hugo Cabral tem velocidade para puxar o contra-ataque, mas precisa ser mais objetivo e eficaz no complemento das jogadas.

Luan é combativo, porém a produtividade ofensiva está bem abaixo do desejado. Ele e Hugo Cabral são os americanos que mais perderam a posse de bola.

Magrão foi o que mais acertou cruzamentos e também o que mais errou.

Vale a pena repetir: Felipe Amorim, supercriticado por parte da torcida, estava com baixa eficiência, mas no mesmo nível de produtividade ou superior a de algumas peças de reposição, que não engrenaram. Tanto é que Hugo Cabral e Luan passaram a ser criticados.

Bill também oscilou bastante. Teve mais baixos do que altos. Mesmo assim, os melhores momentos foram mais em jogadas de pivô, geração de amarelos e vermelhos e primeiro combate do que em gols decisivos. Atacante vive de gols.

Uma mudança simples é a entrada do Hugo Almeida, que no Mineiro esteve sempre atrasado nas jogadas, deixando o zagueiro antecipar.

Outra opção é Hugo Cabral para aumentar o dinamismo no ataque.

Uma terceira poderá ser Renan Oliveira, mais adiantado, estilo Diego Souza na Seleção.

Provável time:
João Ricardo;
Norberto, Messias, Rafael Limas, Giovanni (David);
Zé Ricardo, Ernandes;
Matheusinho, Ruy, Luan (Magrão);
Bill

ABC x América
terça-feira, 20h30, Frasqueirão

Vamos vencer Coelhô!

Nenhum comentário: