terça-feira, 11 de julho de 2017

Copa BH Feminina: América 5 x 1 Prointer

Na primeira conquista da Copa BH Feminina em 2016, foi postado este comentário:

O futebol feminino também é grato àqueles que o engrandecem.

Embora o América tenha sido campeão invicto da Copa BH, a conquista deve ser compartilhada com todos os participantes da competição.

Apesar de ainda estar abaixo do merecido, houve aumento da divulgação nos jornais, nas redes sociais, nos programas esportivos de TVs e rádios.

Na vitória sobre o Manchester por 3 a 0, Aninha demonstrou habilidade ao marcar um golaço em jogada individual. Bruna Rebelde e Dilene completaram o placar.

As adversárias foram resistentes, mas prevaleceu a disciplina tática, a força ofensiva e o poder de decisão das americanas.

Entre os torcedores presentes no Baleião, José Alves veio de Itabira para participar do momento histórico do primeiro título conquistado pelo América no feminino.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Um ano depois, o time americano conquistou de forma invicta o bicampeonato da competição, ao derrotar o Prointer por 5 a 1. Mas novamente, a grande conquista foi do Futebol Feminino.

Pela primeira vez a final de um campeonato feminino foi disputada em um grande estádio, no caso, a Arena do Coelhão.

Na arquibancada, a torcida americana e a do Prointer compareceram ao Independência e ocuparam o mesmo lado da Pitangui para prestigiar e incentivar os respectivos times.

Com tanta violência não apenas no futebol, é uma situação de espírito esportivo que deve ser enaltecida.

José Alves novamente veio de Itabira para desta vez participar do momento histórico do terceiro título conquistado pelo América no Feminino. Duas Copa BH e um Mineiro.

O público presente foi 2.617.

A TV Coelho transmitiu a partida, com alcance de publicação estimada em 36 mil visualizações.

Houve divulgação do América Futebol Clube e dos patrocinadores: Caixa, Fisio Sport Solution e Kick Ball.

Aliás, Rosaura da Kick Ball também compareceu ao evento.

O Grupo do whats Futebol Feminino em Ação, as páginas do facebook e perfis do instagram Futfem24hs e Paginafutebolfeminino e outras redes sociais colaboraram na divulgação

Com um pouco mais de investimento por parte do América, com novos patrocinadores, o retorno dentro e fora de campo será ainda maior.

Mas nem tudo são flores.

Dilene ainda está a espera da cirurgia no joelho, Lo se lesionou na semifinal contra o Manchester e parece que o contrato com o time feminino precisa ser renovado para a disputa do Mineiro.

Vale lembrar que a indefinição sobre a continuação do futebol feminino ocorrida entre outubro do ano passado e fevereiro deste ano provocou a saída de jogadoras titulares para outros clubes e prejudicou o desempenho no Brasileiro da Série A2.

A presença da torcida americana deve ser maior em todos os jogos das competições disputadas.

Na goleada sobre Prointer, as adversárias começaram mais agressivas e tiveram oportunidades para fazer o primeiro gol.

As americanas resistiram, equilibraram a partida e começaram a controlar o jogo.

Bruna Rebelde, improvisada na zaga, e Fernanda fizeram os dois primeiros gols.

Destaque para o lance em que Rebelde quase marcou um gol de bicicleta.

Tábata, novamente em cobrança de falta, marcou o terceiro.

A experiente Patrícia, com determinação de sub-20, fez o quarto gol em cruzamento perfeito da Nathália de pé esquerdo.

Tatá, atacante de velocidade que deveria ser contratada pelo América, marcou o gol do Prointer.

Nathália marcou o quinto em cobrança de pênalti, sofrido pela Beiral.

Aninha poderia ter jogado mais avançada pela direita, com Beiral mais centralizada, nas costas das zagueiras.

Bia, improvisada na lateral esquerda, foi a surpresa positiva.

Manu, Rayane e Thalita poderiam ter entrado para completar as seis substituições.

América:
Camila;
Rosinha, Fernanda (Ana Vitória), Bruna Rebelde, Bia;
Patrícia, Nathália;
Aninha, Daniela Bruno (Duda);
Beiral (Izabela) e Tábata.
Técnico Victor Alberice

Nenhum comentário: