quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Brasil-RS 0 x 0 América-MG

O América, sem atitude vencedora, respeitou demais o adversário, desperdiçou grande oportunidade de conquistar mais três pontos e de se aproximar do Internacional, na disputa do título da Série B.

Ainda assim, o Coelhão permaneceu na vice-liderança e se aproximou um pouco mais da confirmação do acesso para a Série A.

Sem postura ofensiva, faltou velocidade para explorar os contra-ataques.

Com baixo poder de criação e finalização, a primeira e única conclusão certa no primeiro tempo foi de Renan Oliveira, aos 25 minutos.

No segundo tempo, a produtividade americana continuou reduzida.

Uma possível mão na bola do zagueiro do Brasil, dentro da área, e uma cobrança de falta do Edno foram os lances americanos mais perigosos.

O Brasil-RS começou a gostar do jogo e criou situações de gols.

A consistência defensiva americana novamente ficou vulnerável.

Houve falhas na bola aérea, foram duas bolas no travessão, um erro de conclusão do adversário dentro da área.

Ruy, Felipe Amorim e Edno foram as opções ofensivas entre os reservas.

Se a intenção fosse preservar Ruy para o jogo contra o Paraná, melhor seria não relacionar o jogador para a partida em Pelotas.

Magrão e Hugo Cabral poderiam ter sido relacionados..

Felipe Amorim parou de ser aproveitado no primeiro turno e jogou poucos minutos em alguns jogos do returno. Já que foi relacionado, deveria ter entrado antes dos 47 minutos do segundo tempo.

Outra tentativa mais agressiva, seria a entrada do Edno no lugar do Luan.

Embora o campeonato seja de resistência, o Coelhão precisa recuperar a força e velocidade, a fim de manter a competitividade nesta etapa final.

posse de bola: 49 x 51
finalizações certas: 4 x 3
finalizações erradas: 7 x 7
passes certos: 256 x 278
passes errados: 41 x 46
cruzamentos certos: 7 x 4
cruzamentos errados: 29 x 13
escanteios: 12 x 3

João Ricardo: Nos lances mais perigosos, as finalizações foram no travessão ou para fora.

Norberto: Apesar da presença do Zé Ricardo na saída de bola, foi pouco ofensivo.

Messias e Rafael Lima: Mantiveram a segurança defensiva.

Ernandes: Combativo, mas pouco ofensivo.

Zé Ricardo: Errou seis passes e seis lançamentos. Participativo na marcação e na troca de passes, foi o americano que mais acertou passes (39).

Juninho: Mal posicionado. Pouco participativo na saída de bola e improdutivo no apoio. Acertou 19 passes e errou quatro.

Matheusinho: Colaborou na marcação e foi pouco mais produtivo ofensivamente no primeiro tempo.

Renan Oliveira: Uma finalização certa.

Luan: Pouco produtivo.

Bill: Nenhuma finalização.

Edno: Uma finalização certa

Neto Moura: Colaborou na marcação.

Felipe Amorim: Sem tempo.

Enderson Moreira: Poderia ter modificado a lista dos relacionados para aproveitar jogadores mais descansados. Durante a partida, deveria ter feito mudanças mais ousadas, antes dos 33 minutos do segundo tempo, quando Neto Moura entrou. 

BRASIL-RS:
Marcelo Pitol;
Eder Sciola, Leandro Camilo, Nirley e Breno;
Leandro Leite, João Afonso, Elias (Cassiano) e Calyson;
Misael (Juninho) e Lincom
Técnico: Clemer

AMÉRICA:
João Ricardo;
Norberto, Messias, Rafael Lima e Ernandes;
Zé Ricardo, Juninho;
Mateusinho (Felipe Amorim), Renan Oliveira (Neto Moura), Luan;
Bill (Edno)
Técnico: Enderson Moreira

------------------------------------------------------------------

Marco Antônio

Um comentário:

Rodrigo Carvalho disse...

O time fica cansado no 2o. tempo, o adversário faz substituições, passa a dominar, ir para cima e o AMérica fica da mesma forma, perde o meio, sofre ataques perigosos e mal chega na área do adversário, foi assim contra o Oeste e contra o Brasil.E dentro de nossa áreas, falhas no posicionamento.