quinta-feira, 10 de maio de 2018

América-MG 1 x 2 Palmeiras

Com a manutenção da ideia de jogo desenvolvida pela Enderson Moreira, durante a conquista da Série B em 2017, e a escolha de melhores executores para determinadas funções, o Coelhão resgatou a força do futebol coletivo, competitivo e combativo.

Depois de ter sofrido uma goleada para o Vasco, devido a um segundo tempo desastroso, jogou de igual para igual contra um dos melhores times do Brasil, credenciado a conquistar toda competição disputada.

A escalação do Leandro Donizete e Christian melhorou o poder de marcação, qualificou a troca de passes, e as infiltrações do Christian aumentaram a força ofensiva.

Leandro Donizete acertou 45 passes, errou 5, fez uma assistência para finalização,  3 lançamentos certos, 1 errado, 3 viradas de jogo certas,

Christian acertou 26 passes, errou 5, acertou uma finalização, errou duas, fez uma assistência para finalização, 2 cruzamentos certos.

Aderlan e Luan reforçaram a recomposição defensiva, ao diminuir os espaços para as ultrapassagens do Diogo Barbosa e Marcos Rocha, e ainda foram participativos nas o apoio.

Aderlan acertou 45 passes, errou 5, fez 3 assistências para finalizações e duas finalizações erradas.

Luan demonstrou ter mais mais poder de combate que Aylon e Marquinhos. Foi bastante competitivo, acertou 36 passes, errou 7, fez uma assistência para finalização, uma finalização certa, 3 erradas e só perdeu a posse de bola duas vezes.

O time americano repetiu a organização tática praticada na maioria dos jogos.

Buscou o controle do jogo, por meio da valorização da posse de bola ofensiva.

Com a bola, basicamente foram 3 jogadores no início da transição, 4 na segunda linha e 3 mais avançados. Mais as flutuações ofensivas, inclusive dos laterais.

Com e sem a bola, na distribuição tática mais básica, a primeira linha defensiva ficou com 4 jogadores, a segunda com 2 volantes, a terceira com 3 meias, e mais a frente 1 centroavante.

Na formação defensiva compactada, a primeira linha com 4, a segunda também com 4, e os 2 mais um pouco mais avançados, o meia centralizado e o centroavante, antes da linha do meio-de-campo.

Foram 19 finalizações americanas, 4 certas e 15 erradas, contra 10 conclusões do Palmeiras, 5 certas, 5 erradas.

Ainda assim, houve descompactação e vulnerabilidade defensiva, principalmente pelos laterais, nos 2 gols sofridos e nas oportunidades desperdiçadas pelo Palmeiras, embora o cruzamento no primeiro gol tenha sido preciso e a origem do segundo tenha sido de contra-ataque.

Quando o atacante fica livre de marcação na frente do goleiro, a vantagem é toda do atacante para fazer o chamado gol feito, aproveitar a bola do jogo.

Do mesmo modo, quando o atacante parte pra cima do zagueiro, com a bola dominada.

João Ricardo fez duas defesas importantes.

Norberto foi envolvido em lances pelos lados.

Messias acertou 39 passes e não errou nenhum. Fez 5 lançamentos certos, dois errados e 7 rebatidas certas.

Rafael Lima acertou 37 passes, errou 3, fez uma finalização errada, e acertou 7 rebatidas.

Giovanni foi bastante participativo nas triangulações com Luan pela esquerda.

Serginho marcou 1 gol, perdeu 6 vezes a posse de bola, acertou 28 passes, errou 4, fez uma finalização certa, três erradas, duas assistências para finalizações, 6 cruzamentos errados. Tem potencial para chamar mais a responsabilidade durante os dois tempos do jogo.

Rafael Moura quase marcou um gol, mas foi pouco participativo. Acertou 5 passes, errou 2 e fez uma finalização errada.

Aylon, em menos tempo de jogo, foi mais dinâmico, produtivo e eficiente do que Rafael Moura. Fez uma assistência para finalização e acertou uma conclusão.

Marquinhos fez duas assistência para finalizações, errou 6 cruzamentos.

Embora o jogo tenha sido pela Copa do Brasil, o time americano, sempre melhorando, o que precisa ser melhorado, mostrou capacidade para conquistar o objetivo histórico de 2018: Permanecer na Série A em 2019.

Mesmo assim, a projeção da necessidade de melhoria para a sequência do Brasileirão continua.

Existe a necessidade de contratar pelo menos três jogadores para aumentar o potencial agressivo do time titular:

- Um meia centralizado.
- Um centroavante.
- Um atacante de lado.

Todos com experiência vitoriosa na primeira divisão, qualidade técnica, intensidade, velocidade, força, poder de finalização e decisão.

Retorna o alerta sobre o poder de marcação dos laterais, principalmente Norberto.

Dados Footstats:
posse de bola: 47 x 53
finalizações certas: 4 x 5
finalizações erradas: 15 x 5
cruzamentos certos: 8 x 4
cruzamentos errados:  25 x 11

América:
João Ricardo;
Norberto (Marquinhos), Messias, Rafael Lima e Giovanni;
Leandro Donizete e Christian;
Aderlan, Serginho e Luan (Ruy);
Rafael Moura (Aylon)
Técnico: Enderson Moreira

Palmeiras:
Jailson;
Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa;
Felipe Melo (Thiago Santos), Bruno Henrique;
Dudu, Lucas Lima (Guerra) e Keno (Willian);
Borja
Técnico: Roger Machado

Gols: Borja, Keno e Serginho
Cartões amarelos: Rafael Lima e Leandro Donizete (América)

--------------------------------

Marco Antônio

Nenhum comentário: