terça-feira, 1 de maio de 2018

América-MG 2 x 1 Vitória

Apesar de o time americano ter sido mais eficiente no primeiro tempo, a produtividade ofensiva também predominou na segunda etapa.

Além dos dois gols marcados, foram 8 finalizações certas e 5 erradas.

Ainda assim, o jogo foi bastante disputado.

O adversário acertou 7 finalizações e errou 7.

No primeiro gol,  provavelmente houve a presença do acaso. Serginho deve ter feito o cruzamento para Rafael Moura, mas Marquinhos, com bastante oportunismo, aproveitou a oportunidade.

Depois deste gol, houve uma ligeira superioridade do Vitória no controle do jogo, mas sem conseguir superar a consistência do setor defensivo. Pareceu um time mais qualificado na reação do que na proposição.

No segundo tempo, houve falhas no posicionamento defensivo americano no gol sofrido, quando Rafael Moura não interceptou o cruzamento, e nas finalizações do Uillian Correia e Walyson, livres de marcação, dentro da área.

Embora com alguns erros de execução, a padronização tática definida pelo Enderson Moreira e absorvida pelos jogadores foi repetida.

Novamente prevaleceu a força do futebol coletivo, competitivo e combativo.

Destaque para a competitividade do Norberto, a garantia defensiva do Jory e Messias, as assistências do Serginho e a produtividade ofensiva do Marquinhos.

Jory: Fez importantes defesas.

Norberto: Deve ter sido a melhor partida pelo América, com bastante intensidade ofensiva.

Messias e Rafael Lima: Mantiveram a segurança defensiva

Carlinhos: Bastante intenso na bola ofensiva.

Leandro Donizete: Errou o tempo da bola nos dois carrinhos geradores de amarelos, mas foi  participativo na marcação e troca de passes. Acertou 25 passes, errou 5, fez 3 desarmes, 1 lançamento errado, 3 certos, uma virada de jogo certa. Provavelmente teria ultrapassado o índice de 30 passes certos se não tivesse sido expulso.

Juninho: Fez uma assistência para finalização do Serginho, acertou 16 passes, errou 6,  fez 2 desarmes.

Marquinhos: Bastante produtivo ofensivamente. Marcou 1 gol, fez duas finalizações certas, 3 assistências para finalizações, 5 cruzamentos certos, 8 errados.

Serginho: Duas assistências para os gols marcados, 4 assistências para finalizações, uma finalização certa, duas erradas. Desperdiçou uma grande oportunidade de marcar o terceiro gol. Manteve a regularidade produtiva pelo terceiro jogo seguido.

Aylon: Entre os quatro mais avançados, foi o menos produtivo e eficiente. Uma assistência para finalização, duas finalizações erradas, perdeu 7 vezes a posse de bola.

Rafael Moura: Acertou 17 passes, errou 9, fez uma assistência para finalização, três finalizações certas e teve poder de decisão.

Luan: Participou do início da jogada desperdiçada pelo Serginho, fez 2 desarmes e 2 cruzamentos errados.

Zé Ricardo: Participativo no combate

Magrão: Sofreu um possível pênalti não marcado.

Enderson Moreira: O time americano manteve a organização tática, criou, desperdiçou e aproveitou oportunidades. Talvez tivesse sido mais interessante a entrada do Luan ou Ruy, no lugar do Marquinhos, em vez de um volante no lugar de um meia-atacante.

A projeção de reforços para o Brasileirão permanece. Existe a necessidade de contratar pelo menos três jogadores para aumentar o potencial agressivo:

- Um meia centralizado
- Um centroavante
- Um atacante de lado

Todos com experiência vitoriosa na primeira divisão, qualidade técnica, intensidade, velocidade, força, poder de finalização e decisão.

Dados Footstats:
posse de bola: 45 x 55
finalizações certas: 8 x 7
finalizações erradas: 5 x 7
cruzamentos certos: 12 x 7
cruzamentos errados: 24 x 27
desarmes: 23 x 10

América:
Jory;
Norberto, Messias, Rafael Lima e Carlinhos;
Juninho, Leandro Donizete;
Marquinhos (Zé Ricardo), Serginho, Aylon (Luan);
Rafael Moura (Gérson Magrão)
Técnico: Enderson Moreira

Vitória
Caíque;
José Welison, Kanu, Ramon e Pedro Botelho;
Willian Farias (Wallyson), Uillian Correia, Neilton (Guilherme) e Rhayner (Lucas Fernandes); Yago e Denilson
Técnico: Vagner Mancini

Gols: Marquinhos, Rafael Moura e Pedro Botelho
Cartões amarelos: Yago e Ramon (Vitória); Carlinhos (América)
Cartão vermelho: Leandro Donizete (América)

Nenhum comentário: