domingo, 13 de maio de 2018

Pré-jogo: Ceará x América-MG

Para a maioria da torcida cearense, o confronto contra o América, dentro da casa deles, é o tipico jogo em que o Ceará terá a obrigação de conquistar três pontos, em cima de um concorrente na disputa para terminar o Brasileirão fora do Z4.

Na busca da formação ideal e do encaixe dos novos executores, o time americano deve repetir a ideia de jogo, desenvolvida desde a conquista da Série B em 2017, e transformada na força do futebol coletivo, competitivo e combativo.

As mudanças na escalação inicial para enfrentar o Palmeiras e as substituições feitas durante o jogo foram produtivas, mas houve vulnerabilidade defensiva e ineficiência nas finalizações.

Contra o Ceará, uma mudança obrigatória será a entrada do Matheus Ferraz no lugar do Rafael Lima.

Norberto e Rafael Moura serão poupados.

A engrenagem do setor defensivo entre zagueiros, laterais, volantes,  meias-atacantes e até centroavante precisa ser mais bem encaixada para solidificar a consistência defensiva.

Lançamentos, viradas de jogo, jogadores rápidos e dribladores são fundamentais para quebrar e desorganizar as linhas de defesa.

Para minimizar os lançamentos do campo de defesa adversária, o início da marcação deve começar no combate do centroavante ao zagueiro.

Independentemente da condição física do Rafael Moura, a substituição opcional, inclusive para reforçar o combate, deveria ser a entrada do Aylon no lugar do He-Man.

Aylon está mais combativo, decisivo e dinâmico que Rafael Moura, que está sem presença de área, pouca imposição física sobre os adversários e sem poder de decisão.

Norberto e Aderlan, pela direita, e Giovanni e Luan, pela esquerda, deveriam formar as duplas de beiradas a fim de aumentar o entrosamento com os volantes.

Aderlan parece ter mais potencial ofensivo do que defensivo, enquanto Norberto tem mais qualidade na saída de bola e talvez seja mais marcador que Aderlan.

Giovanni deve participar mais da marcação dentro da área, quando o adversário atacar pelo lado direito da defesa americana.

Carlinhos tem mais intensidade para defender e atacar.

A utilização do Marquinhos poderá aumentar a força ofensiva, mas o meia atacante precisa acertar mais vezes na tomada de decisão.

Luan carece acertar mais os complementos das jogadas, mas é bastante participativo na recomposição e transição.

Os lados do posicionamento defensivo dos volantes na recomposição precisam ser mais bem definidos.

Christian e Zé Ricardo têm resistência física para defender e atacar, em alta intensidade e qualidade.

Leandro Donizete deve guardar mais a posição para facilitar a recomposição nos contra-ataques.

David e Wesley têm mais qualidade na distribuição das jogadas do que na marcação.

Apesar de Serginho ser um dos destaques do time, o articulador precisa manter a regularidade produtiva nos dois tempos do jogo.

Ruy é alternativa de reposição para aumentar a criatividade, porém pareceu sem condições de jogar durante muito tempo.

Rafael Moura poderia ser opção de atacante referência para entrar nos minutos finais.

Ademir, Judivan e Renan Oliveira, se estiverem bem condicionados fisicamente para suportar 90 minutos, poderão ser opções de mudanças.

A projeção da necessidade de melhoria para a sequência do Brasileirão continua.

Existe a necessidade de contratar pelo menos três jogadores para aumentar o potencial agressivo do time titular:

- Um meia centralizado.
- Um centroavante.
- Um atacante de lado.

Todos com experiência vitoriosa na primeira divisão, qualidade técnica, intensidade, velocidade, força, poder de finalização e decisão.

Retorna o alerta sobre o poder de marcação dos laterais.

Provável time e sugestões:

João Ricardo;
Aderlan, Messias, Matheus Ferraz, Giovanni (Carlinhos);
Leandro Donizete(Zé Ricardo, Wesley), Christian (Zé Ricardo);
Marquinhos, Serginho, Luan (Ruy, Rafael Moura);
Aylon

Ceará x América
segunda-feira, 20h, Castelão
#vamospracimadelescoelho

-----------------------------------------------------------------

Marco Antônio

Nenhum comentário: