domingo, 7 de agosto de 2022

Juventude-RS 0 x 1 América-MG

A estratégia utilizada pelo time americano evidenciou que é possível jogar na retranca, ou segundo os neologistas baixar as linhas, ter menos posse de bola, finalizar menos que o adversário, ainda assim, com bastante competitividade, eficiência na defesa e no ataque, conquistar a vitória. 

Talvez com a equipe mais completa, entrosada e inteira fisicamente, a busca pelo controle do jogo,  com postura e posse de bola ofensiva, teria sido utilizada pelos comandados do Mancini, mas sem a garantia do resultado vitorioso. 

Além da importância dos três pontos conquistados, o time americano, com menos desfalques mais os reforços contratados para o segundo turno, voltou a demonstrar potencial de aproveitamento, evolução e revezamento entre titulares e substitutos. 

Destaque para Matheus Cavichioli, Éder, Benitez, Pedrinho e Matheusinho.

Matheus Cavichioli tem capacidade para ser mais eficaz nos lançamentos precisos, mas fez importantes defesas. 

Éder tomou conta da quarta-zaga. 

Apesar de ter sido uma contratação criticada por parte da torcida, Benitez, que entrou durante o jogo contra o Avaí e foi titular contra o Juventude, pela segunda vez consecutiva foi um dos destaques. 

Pedrinho foi bastante participativo na recomposição defensiva, na organização e construção ofensiva. 

Arthur, com um pouco mais de rodagem, Índio, Matheusinho, Ricardo Silva e Wellington Paulista, que entraram no segundo tempo, são jogadores com possiblidades para disputar a titularidade. 

A versatilidade produtiva do Matheusinho, centralizado ou pelo lado direito ou esquerdo, foi destacada na entrevista do Mancini, e é merecedora do reconhecimento dos torcedores americanos. 

Ainda Alê, Aloísio, Conti, Everaldo, Marlon e Patric, todos com capacidade para serem titulares. 

Gonzalo Mastriani deve ser mais uma opção de centroavante decisivo. 

Devido a imprevisibilidade de futuros desfalques provocados por desgastes com a sequência de jogos, lesões e suspensões,  preventivamente seria interessante contratar mais um goleiro, um volante,  um meio-campista, e um meia-atacante de lado.

Mas a solução para algumas posições carentes poderão ser encontradas na própria equipe.

Zé Ricardo poderá ser a solução na função de volante para reforçar a marcação do meio-de-campo, evitar a improvisação do Éder e Luan Patrick, substituir Alê ou Kal ou Juninho, e reduzir a lista de reforços. 

Talvez Juninho Valoura e Rodriguinho sejam eventuais substitutos do Alê e Juninho. 

Carlos Alberto tem potencial para ser utilizado pelos lados, preferencialmente o lado direito, para buscar a linha de fundo em profundidade ou infiltrar pela diagonal e finalizar. 

Falta encontrar um posicionamento funcional e uma distribuição tática para potencializar a qualidade do Índio. 

A posição mais preocupantes é a de goleiro, porque Jori está se recuperando de lesão, Airton e Robson são inexperientes na Série A. 

Haverá muitas opções táticas e técnicas para enfrentar o Santos. 

Entre elas, uma primeira linha defensiva com Patric, Lucan Patrick Éder e Danilo. 

O meio-de-campo, com Lucas Kal, Juninho, Benitez ou Matheusinho. 

Com possiblidades da utilização do Alê e Índio. 

Um trio mais ofensivo desde o início com Everaldo, Wellington Paulista e Pedrinho, mais as alternativas do Aloísio, Carlos Alberto, Henrique e Matheusinho. 

Juventude
Pegorari; 
Rodrigo Soares, Thalisson, Paulo Miranda e Moraes; 
Marlon (Yuri), Chico, Bruno Nazário (Ricardo Bueno) e Óscar Ruiz (Vitor Leque); 
Vitor Gabriel (Edinho, Felipe Pires) e Pitta
Técnico: Umberto Louzer
 
América:
Matheus Cavichioli; 
Cáceres, Maidana, Éder e Danilo; 
Lucas Kal (Ricardo Silva);
Juninho e Benítez (Matheusinho); 
Pedrinho (Arthur), Henrique Almeida (Wellington Paulista), Felipe Azevedo (Índio)
Técnico: Mancini

Gol: Pedrinho 


segunda-feira, 1 de agosto de 2022

América-MG 3 x 1 Avaí-SC

Apesar da falta de concentração e do erro de reposicionamento defensivo no gol sofrido, a vitória recompensou a determinação, a ousadia, a superação e principalmente a importância de a equipe possuir substitutos qualificados, com capacidade para disputar a titularidade. 

Everaldo, Henrique e Matheusinho foram os principais jogadores ofensivos no primeiro tempo, mas Benitez, Pedrinho e Wellington Paulista qualificaram a força ofensiva, com um meio-de-campo bastante ousado, formado pelo Juninho, Benitez e Matheusinho, mais o trio de atacantes, Everaldo, Wellington Paulista e Pedrinho. 

Depois do gol de desempate, Maidana e Patric reforçaram a consistência defensiva. 

É bom destacar que, Benitez, Maidana, Patric, Pedrinho e Wellington Paulsita, os cinco jogadores que entraram durante o jogo, poderão ser titulares nos próximos jogos. 

Ainda assim, o adversário, antes e depois das mudanças feitas pelo Mancini, criou chances de gols, porque o time americano precisou ser mais ofensivo do que o necessário para conquistar a vitória. 

Talvez seja necessário mudar o esquema para buscar o equilíbrio básico entre defender e atacar, principalmente contra adversários mais qualificados. 

Três volantes, com o retorno do Alê, ou  três zagueiros, ou dois volantes mais fixos e um meia centralizado mais avançado no 4-2-3-1 são opções de mudanças no esquema e na escalação de acordo com o adversário. 

Quanto mais vezes o América jogar com menos desfalques e mais reforços qualificados para minimizar o desgaste e aumentar as opções entre titulares e substitutos, maiores serão as possibilidades de conquistar a classificação para a próxima fase da Copa Brasil e permanecer na primeira divisão. 

Sem a utilização do Zé Ricardo, seria interessante reforçar a equipe com um volante, para evitar a improvisação do Éder e Luan Patrick, contratar mais um meio-campista, um atacante de lado e um centroavante. 

Se o retorno do Jori for demorado, preventivamente também contratar um goleiro. 

Destaque para Éder, Juninho, Matheusinho, Henrique, pelo gol marcado, para a estreia do Benitez, retorno do Wellington Paulista, e especialmente Everaldo. 

América:
Matheus Cavichioli; 
Cáceres (Patric), Luan Patrick, Éder e Danilo Avelar; 
Lucas Kal (Benítez), Juninho e Matheusinho (Maidana);
Everaldo, Henrique (Wellington Paulista, Felipe Azevedo (Pedrinho)

Avaí: 
Vladimir; 
Kevin (Renato), Bressan, Arthur e Cortez; Eduardo (Vitinho), 
Raniele e Jean Pyerre (Jean Cleber);
Pottker, Natanael (Muriqui) e Bissoli (Guerrero)

Gols: Henrique, Everaldo (2)